Exportações e mudança no perfil de consumo fazem setor de suínos ter 2º melhor resultado desde 1997

Campo Grande (MS)- Mais de 10 milhões de cabeças de suínos foram abatidas entre abril e junho deste ano. O desempenho é o segundo melhor desde 1997, quando os dados desse tipo de atividade começaram a ser coletados.

O número de abates é 1,3% maior do que o registrado no trimestre anterior. O abate de bovinos também teve ligeira alta em relação ao trimestre anterior, mas queda de 3,7% em relação ao mesmo trimestre de 2016. O resultado do abate de frangos também foi negativo, com recuo de mais de 4% em relação ao ano passado.

Os dados da Pesquisa Trimestral Agropecuária foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Santa Catarina continua liderando o abate de suínos, com 26,5% da participação nacional, seguida pelos estados do Paraná e Rio Grande do Sul.

A aquisição de leite também teve queda, de quase 4% em relação ao trimestre anterior, mas subiu 8% na comparação com 2016. O couro também registrou queda na produção entre abril e junho.

Já a produção de ovos de galinha teve um aumento de 3% em comparação ao trimestre anterior e mais de 7% em relação ao segundo trimestre de 2016. De acordo com o instituto, o aumento de exportações de suínos e a mudança no perfil do consumo interno são alguns fatores que contribuem para o desempenho positivo desse ramo da agropecuária. O preço mais baixo da carne de porco também explica o aumento.

O IBGE destaca ainda que os resultados sofreram influência da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, deflagrada no mês de março, que desvendou fraudes no processo de produção, inclusive com riscos à saúde, praticadas por alguns dos grandes produtores de carne no país. A operação resultou na queda da produção no mês de abril, quando algumas empresas tiveram paralisações. Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here