Chuva prejudica  mais quatro cidades da região sul do Estado

Campo Grande(MS) –  De  acordo com dados  levantados  pela  Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) que  desde o início da semana, mantém  equipes de técnicos percorrem pontos do Estado prejudicados pela chuva.

Em Coronel Sapucaia, foram registrados estragos em pontes e estradas. Na área rural, erosões já existentes se agravaram, como ocorreu com  cratera de 400 metros de extensão por vinte de largura e oito de profundidade, no corredor da Colônia Brasil, próxima da Linha Internacional, que ameaça a área urbana.

Outros três pontos de erosão ameaçam estradas municipais na área rural: a Nhu Guaçu, no acesso à Fazenda Renascer e a estrada Cerro Perón. Com decreto de situação de emergência vigente, o município teve nova decretação assinada hoje (11.1) pela Prefeitura e que deve ser publicada nos próximos dias. Já em Tacuru, a situação de emergência foi decretada no dia 28 de dezembro do ano passado. Conforme a Defesa Civil Estadual, foram contabilizadas duas pontes de madeira destruídas, seis danificadas, e cinco pontos de erosão sendo três na área urbana.

Na rodovia MS-160, foram contabilizadas erosões ameaçando a pista em dois trechos: na altura do km 10 e outra no km 17. Os danos existentes verificados pela Defesa estão sendo repassados e monitorados pela Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul).

Sete Quedas,  também teve pontos de aterro rompidos, prejudicando as estradas Iporã, Sulina e do Penteado, mas a Defesa Civil Municipal já providenciou acessos alternativos. O município teve ainda uma ponte sobre o rio Guassuzinho levada pelas águas. Outra ponte, sobre o Rio São José, na Estrada Pirajuí, foi danificada. Também foi registrado rompimento de um dissipador que recebe a drenagem de águas pluviais.

Em Iguatemi, onde a situação de emergência foi decretada no dia 4 deste mês, foram contabilizadas duas pontes destruídas, outra com desabamento e o rompimento de aterros. Houve danos também na estrada vicinal que dá acesso à Cooperativa Municipal. Na área urbana, a equipe da Cedec contabilizou o rompimento da capa asfáltica em vários pontos em uma extensão de 90 quadras. O pavimento foi arrancado pela força das águas.

O levantamento em cada um dos locais onde a população foi impactada pelas chuvas foi determinado pelo governador Reinaldo Azambuja, antes de iniciar as férias. “As vistorias têm a finalidade de fazer in loco o levantamento dos danos causados pelas chuvas no sentido de homologar a situação de emergência e preparar eventual apoio por parte do Estado”, detalha o coordenador estadual da Defesa Civil, Coronel Isaías Bittencourt.

Da redação

Foto Defesa Civil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here