OUÇA: Cães e gatos podem passear pelo Parque dos Poderes. Deputado quer debate

Campo Grande(MS) – Chega de alimentar os pets com rações cheias de sódio. A tendência é voltar ao antigo hábito de dar comida, como a que a gente come todos os dias. Isso não quer dizer dar restos de alimentos aos bichanos, muito pelo contrário – até porque muitos ingredientes que fazem parte da nossa dieta são tóxicos a cães e gatos, como é o caso da cebola, por exemplo. De acordo com a Médica Veterinária na área de Alimentação Natural, Marina Franco, a ração é vista como vilã porque a “grande maioria delas é feita com grãos de milho, trigo, soja, conhecidos por serem alterados geneticamente na forma de transgênicos”. Isso sem contar os altos índices de sódio e o fato de serem secas, características que fazem mal para o nosso organismo e para o deles também. Nacionalmente já existe toda uma movimentação de marcas que oferecem porções diárias aos pets como forma de substituição à ração.

Em  Campo Grande existe  a empresa,  Le Gout Canin  “LE GU CANIN “que orienta  clientes  sobre  avaliação  com a alimentação dos  Bichos, que antes passam por consultas e depois  podem introduzir a alimentação natural. A marca surgiu depois de o casal Mariana Capelle e Marcio Vasconcelos encontraram  dificuldade com rações para o Ozzy, pastor alemão dos dois, que tem megaesôfago e é renal crônico. A saída foi a alimentação natural.

O assunto chamou a atenção do deputado Márcio Fernandes que é médico veterinário. Ele quer debater o tema na assembleia Legislativa. Principalmente com relação aos animais que vivem  nas ruas, e que são alimentados pela comunidade.Outra questão é quanto ao passeio de animais no parque das Nações indígenas, o que  hoje não acontece. As declarações do deputado Marcio Fernandes foram feitas pela rede social

Da redação

Foto Divulgação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here