OUÇA: Terena crê em mais violência em Buriti, depois de decisão de STJ.

Campo Grande(MS) – No dia 2 de Março,  a primeira turma do Superior  Tribunal de Justiça,  manteve decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região  que determinou a posse de 13 mil hectares de terra  em Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti aos produtores rurais. As áreas judicializadas somam 26 fazendas e hoje estão tomadas por indígenas. A Terra Indígena Buriti foi demarcada em 1928, pelo Serviço de Proteção ao Índio (SPI), órgão que antecedeu a Funai, e homologada em 1991, com 2 mil hectares.

 

Em maio de 2013, o indígena terena Oziel Gabriel foi morto a tiros durante uma ação policial de reintegração de posse para remover os índios da Fazenda Buriti. Depois da decisão do STJ , quinhentos indígenas da etnia terena protestaram na manhã de  segunda feira dia  cinco  e prometeram avançar nas ocupações. O recurso da União pretendia ampliar a Terra Indígena Buriti de 2 mil, para 15 mil hectares. Otoniel Gabriel, irmão de Oziel Gabriel morto em confronto com a Polícia Federal em 2013 reuniu a imprensa em Sidrolândia e mandou recado as autoridades.

 

 

Os índios já estão se movimentando para resistir… Otoniel lembra que  desde  2013  um acordo foi firmado com as autoridades pela paz nas áreas e que agora foi quebrado pela Justiça. Os Terena querem  avançar e ocupar as cinco propriedades.  Das 31 fazendas que fazem parte da área indígena, 26 estão sob o comando de índios. E em caso de desocupação os  índios estão dispostos a morrer pela terra.

 

A Rádiowebms, ouviu Otoniel  Gabriel, representante da etnia Terena  de Sidrolandia e Dois Irmãos do  Buriti.

João Flores Junior[

Foto Marcos Tomé/ Região News.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here