OUÇA:O premiado Lote Urbanizado do governo, chega à Maracaju com 2 anos de atraso.

Campo Grande(MS) – Desde novembro de  2016, que o governo implanta do programa Lote urbanizado. A  prefeitura entra com o terreno e o governo faz a estrutura de fundação para o levantamento da casa com rede de  esgoto sanitário e a planta  com a primeira fiada de  tijolo  e a família levanta a residência com recursos próprios. A prefeitura vistoria a obra dá o Habite se e entrega a benfeitoria para a família. Todo o procedimento é acompanhado por técnicos da prefeitura e do governo com e engenheiro e assistente social.

Mais de  36 cidades já participaram do projeto. O lote Urbanizado que rendeu a Diretora-presidente da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (AGEHAB), Maria do Carmo Avesani Lopez no dia 18 de setembro de 2017 juntamente  com servidores, o Prêmio Selo de Mérito da Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação (ABC) e o Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urban.  A premiação aconteceu em São Paulo e o programa escolhido foi o “Programa Habitacional Financiado e Subsidiado” pela categoria “Relevância Social e/ou Urbana”.

As cidades que fazem parte do projeto são,  Amambai, Bodoquena, Bataguassu, Bela Vista,  Brasilândia, Cassilândia, Chapadão do Sul, Coronel Sapucaia, Costa Rica, Inocência, Japorã, N.  Horizonte Sul, Rio Verde, Água Clara Antônio João, Caracol, Figueirão, Iguatemi, Itaquiraí, Jaraguari

Maria Avezani Lopes com o prêmio de melhor programa social em habitação do Brasil.

Nioaque, Nova Andradina,  Ribas do Rio Pardo,  Porto Murtinho, Sidrolândia, Bonito, Camapuã, Corguinho, Corumbá, Coxim,  Dourados, Santa Rita do Pardo, Sonora, Tacuru, Taguarussú, Três Lagoas,  são mais de 2 mil famílias atendidas no programa  custeado pelo governo.

Agora Lote Urbanizado chega a Maracaju e vai atender 38 famílias do Distrito de Vista Alegre.  O secretario de Obras,  Tiago Caminha, detalha para a Rádiowebms, por quê, só agora   Maracaju entra no  programa social iniciado em 2016. De acordo  com Caminha,  o déficit de moradias é de aproximadamente  mil casas.

O secretario disse ainda que além do Lote Urbanizado, Maracaju tem projeto de moradias no Loteamento,  Ilha Bela Dois. E que a cidade  contava com dois projetos na Caixa Econômica. Caminha disse ainda que os terrenos e casas do distrito de vista Alegre passam por regulamentação. Ouça a reportagem.

João Flores Junior

Foto Divulgação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here