Ouça; Área de aterro sanitário em R. Verde tem 8 hectares e seria usada por 19 anos.

Campo Grande(MS) – A previsão é que o aterro seja construído no Corredor Público, conhecido como estrada do Colégio Rural. A estrutura vai receber resíduos sólidos urbanos e domiciliares da Classe II, que pela classificação da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas – são compostos por materiais biodegradáveis, mas com potencial de combustão e de solubilidade na água. A estrutura poderá receber também lixo hospitalar. Conforme o projeto, o aterro poderá receber até 80 toneladas de resíduos sólidos por dia. Os moradores de Rio Verde promovem o movimento “Lixo do Norte Aqui não”.

Com abaixo assinado eles alertam para os riscos de contaminação, a desvalorização imobiliária, a geração de mau cheiro e a proliferação de insetos e animais peçonhentos. Conforme a especificação técnica encaminhada em março para o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (IMASUL), a área do aterro será de 8 hectares e estará a pouco mais de 1Km do aglomerado urbano e a 208 metros do córrego Grota do Gentil. O empreendimento tem vida útil de 19 anos. Mas a entidade ainda nem aprovou a medida.

Pedro Francisco Luís Filho um dos coordenadores do movimento contra a instalação do aterro explica em depoimento concedido a Rádiowebms que a primeira medida da sociedade e contar com os vereadores para aprovar projeto de lei  impeça a instalação do aterro. Mas a medida pode ser barrada pelo prefeito Mário Griger e depois o veto pode ser derrubado pelos parlamentares. Outra informação dada pelo advogado é de que a área em questão pertence a uma indústria de cerâmica de Rio Verde e que deveria  ter sido recuperado pelo dono a empresa . A rádiowebms ouviu o Pedro Francisco Luís Filho

João Flores Junior

Foto Divulgação.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here