Entidades querem afastamento de Tânia Borges e advogado pede demissão do TCE.

Campo Grande(MS) – O advogado Denis Peixoto Ferrão Filho pediu exoneração do cargo de diretor jurídico do TCE/MS (Tribnal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul) na quinta-feira, dia 26 de julho, um dia depois de vir a público denúncia sobre interferência em um julgamento, por seu interesse, da desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges, no TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). A assessoria da Corte de Contas confirmou o protocolo do pedido de demissão.

O caso veio à tona a partir de reportagem do Jornal Nacional, da TV Globo. Ferrão Filho teria solicitado ao tenente-coronel Ademilson Cristaldo Barbosa que intercedesse junto a Tânia Borges em um processo de seu interesse, valendo-se da proximidade entre o militar e a desembargadora –denotada por meio de mensagens de celular obtidas durante investigações.

Barbosa foi preso durante a Operação Oiketicus, que apura a colaboração de policiais militares com o contrabando de cigarros. Em buscas e apreensões na residência do policial, foram apreendidos cheques e notas promissórias –havendo documentos em nome de Denis e de Tânia. A desembargadora assinara um cheque de R$ 165 mil que, segundo ela e Barbosa, seria referenda à venda de um automóvel, fato sob apuração do MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Tânia Borges, Denis e Barbosa são suspeitos de participação em uma operação para venda de sentença e tráfico de influência, envolvendo processo de interesse do advogado que estava protocolado na Corte. Mensagens em celular apontam negociações envolvendo pedidos sobre a referida ação.

A situação da presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), Tânia Garcia Freitas Borges, que desde o ano passado tem sido alvo de polêmicas devido uso de seu cargo de firma irregular, levou diversas entidades a manifestarem-se a favor da investigação das práticas de tráfico de influência e venda de sentença pela magistrada. Uma delas, pediu inclusive o afastamento dela.

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Mato Grosso do Sul (OAB-MS), aconselha a presidente a pedir afastamento do cargo para defender-se, sem colocar em risco a lisura do processo eleitoral do Tribunal de Justiça, previsto para outubro de 2018.

Cotada para assumir a presidência do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) ainda neste ano, a desembargadora foi citada em investigação do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), sobre a máfia dos cigarreiros.

Da redação

Foto Divulgação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here