Lei proíbe deixar cães acorrentados e presos por muito tempo.

Campo Grande(MS) – Projeto inédito por iniciativa da vereadora, Maria da Graça Dutra(MDB), proíbe que donos de cães deixem seus pets presos em correntes e coleiras por longos períodos, A parlamentar é a única mulher no legislativa de Florianópolis, Santa Catarina e  conhecida pela Militância em favor dos animais. De acordo com a lei, no caso de animais agressivos,  a medida permite o uso de coleiras vai-e- vem com guias retráteis para permitir o movimento. A lei está em vigor na capital Catarinense e torna mais rígida a definição de que são maus tratos . Maus tutores não são somente aqueles que praticam agressões físicas com os seus pets, mas ainda aqueles que ignoram a necessidade de que os cães tem de se movimentar livremente.

Para a vereadora Dutra não é natural  que os cachorros permaneçam acorrentados. E quando isso acontece eles podem despertar instintos agressivos comuns em todos os cães; Os animais precisam de espaço para crescer, explorar e divertir se ,mesmo que a meta da adoção seria para ter um cão de guarda. Para isso ele precisa socializar se com os integrantes da família e ainda com outros animais, assim terá comportamento satisfatório com todos.

O projeto de lei da vereadora,  Maria de Graça Dutra tramitou na câmara municipal de Florianópolis desde  2017, até se tornar a lei 17087/2017. Com a nova legislação está proibido o confinamento, acorrentamento e ou alojamento inadequado em cães e outros animais de estimação. Quem desobedecer a lei pode pagar multa que varia de R$ 500,00 á R$ 3.000,00 em caso de reincidência. A aplicação da medida é feita pela DIBEA – Diretoria de Bem Estar Animal vinculada a rede Solidária Somar Floripa, da prefeitura da cidade. A entidade recebeu mais de 170 denuncias de maus tratos, para fazer a denuncia a comunidade precisa reunir maior quantidade de provas entre fotos e filmagens.

Da redação

Foto Divulgação.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here