OUÇA: Deputado pede providencias sobre poluição no rio da Prata em Jardim e Bonito

Campo Grande(MS) – Amarildo Cruz (PT) classificou como desastre o dano ambiental que atingiu o Rio da Prata, em Jardim e Bonito. Na sessão ordinária de  quarta-feira (5), o parlamentar pediu  providências das autoridades ambientais e do Poder Judiciário quanto à fiscalização da atividade agrícola na região. Porque a  Polícia Militar Ambiental identificou a fazenda de onde saiu a água com barro que atingiu o Rio da Prata, mudando o tom cristalino e causando graves prejuízos ao meio ambiente. Amarildo disse não ser contra o Agronegócio. Amarildo explica que não só o governo mas todas as entidades deveriam se  preocupar com o meio ambiente em Mato Grosso do Sul e questiona a inércia  da sociedade em relação a Bonito e Jardim

Em aparte, o deputado Zé Teixeira (DEM) criticou a penalização contra os produtores rurais. Teixeira disse que o produtor rural é obrigado a manter 20% der reserva legal  e que em relação ao rio da Prata a culpa é de São Pedro..

A Justiça de Mato Grosso do Sul determinou o bloqueio de até R$ 400 mil dos proprietários das fazendas Rio Grande e Monalisa, suspeitas de provocarem o turveamento das águas cristalinas dos rios de Bonito e Jardim, no mês de novembro. A decisão foi da juíza Adriana Lampert, que aceitou o pedido feito pelo promotor  Alexandre Estuqui Junior, do Ministério Público de Mato Grosso do Sul. Na próxima segunda-feira (10/12), o Promotor de Justiça Alexandre Estuqui Junior titular da 2ª Promotoria de Justiça em parceria com a Câmara Municipal de Bonito vai realizar Audiência Pública com o tema “S.O.S Serra da Bodoquena: medidas para minimizar o turvamento dos rios da região de Bonito.

Da redação

Foto Divulgação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here