MPE reforça novas leis brejões nas regiões de Bonito e da Serra da Bodoquena.

Campo Grande(MS) – Audiência pública realizada pelo Ministério público de Mato Grosso do Sul lotou  a Câmara Municipal de Bonito reuniu a comunidade, autoridades, convidados, ruralistas,  deputado  e convidados que estiveram reunidos na  manhã de segunda feira dia 10 de dezembro.  O   Promotor de justiça Luciano Furtado Loubet diretor do núcleo do meio ambiente MPMS,  lembra que depois de 15 anos de implantação do programa Formoso Vivo, a degradação ao meio ambiente continua..

O trabalho de recuperação do Rio Formoso  existe a mais de  10 anos e naquela época não existia o código Florestal. O promotor Luciano Loubet  lembra da lei municipal que protege os mananciais da região

O promotor destacou na audiência o papel  o conselho de Meio ambiente, a importância do brejão dos rio formoso e do Prata , Denunciou ainda quinhentas ligações  clandestinas de rede de esgoto em Bonito bem como Loteamento urbano desenfreado e ainda a recuperação das Estradas.  E que,  uma das causas do Turveamento da Água do Formoso  e a mudança Climática.

O Promotor de justiça Luciano Furtado Loubet sugeriu ainda cumprimento da lei de 50 metros de mata ciliares em Bonito como está na lei Municipal, e que não aplica o código florestal;    150 metros que a  atividade da agricultura deve preservar,   a lei 1.871 que fala  que todas as propriedades e  estradas  devem ter caixa de retenção trabalho de conservação de solo. Aplicação o das leis municipal e Estadual que proíbe o gado de beber água nos rios  considerados Turísticos e a criação de uma lei de proteção aos Brejões por ser região  de vereda e área de APP.     Ouça a reportagem da Rádiowebms

João Flores Junior

Foto Assessoria MPE

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here