Ouça: PM foi executado porque erá ótimo agente, diz delegado Romero

Campo Grande(MS) – O soldado da PM Juciel Rocha Professor estava em uma lanchonete com amigos e a namorada, no centro de Maracaju  quando foi atingido com  cinco tiros na cabeça. O passageiro da motocicleta desceu sem tirar o capacete e seguiu diretamente para o PM. A vítima estava de costas para o autor e não pode  reagir.  Depois dos  os disparos, os criminosos fugiram. O suspeito de matar o policial militar seria integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital e se apresentou à Polícia Civil com dois advogados.

O crime ocorreu na madrugada de domingo.O autor  dos disparos se apresentou às 4h, do mesmo dia, com dois defensores que também teriam sido pagos pela facção criminosa. Foram identificados cinco envolvidos no crime. O Delegado Amilcar Romero da delegacia de Policia Civil de Maracaju disse a  Rádiowebms que o autor foi reconhecido por testemunhas e ainda flagrada pelas câmeras instaladas na lanchonete .

Imagens confirmam que acusado matou pm de forma covarde.

Os demais acusados foram presos em seguida. O delgado disse ainda que  Patrick esteve uma hora antes do crime na lanchonete verificando a movimentação. Quatro foram detidos, Marcos Benites que morreu ao trocar tiros com a PM já havia sido preso por diversas  vezes por causa do tráfico.  A moto usada no crime estava na casa dele desde sexta feira. Informa o delegado.

Todos os envolvidos são integrantes de facção criminosa.  Para o delegado, a execução do policial  Juciel Rocha Professor, era por causa do bom serviço que prestava a comunidade em Maracaju. O delegado Romero afirma que  a execução do Policial Juciel Rocha Professor, causou comoção na comunidade Maracaju, mas teve resposta rápida das autoridades.

João Flores Junior

Foto Divulgação PM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here