Gabrielly morreu por causa de agressões, e a doença imunodeficiente, diz Polícia

Campo Grande(MS) – No dia 6 de dezembro de 2018, Gabrielly Ximenes de Souza,  10 anos, faleceu na Santa Casa. Antes da entrada no hospital, no dia 29 de novembro, sofreu agressões na saída da Escola Estadual Lino Villachá, no Bairro Nova Lima, em Campo Grande. Dois meses e meio depois, laudo da perícia da polícia civil afirma que as agressões sofridas pela criança , que apanhou de duas adolescentes de 13 anos, causaram a morte da menina. As duas garotas serão indiciadas pela Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude por lesão corporal dolosa, quando há intenção de machucar. Titular da delegacia e responsável pelo caso, a delegada Ariene Murad explicou que o laudo foi “extremamente minucioso” e também apontou que Gabrielly sofria de uma doença imunodeficiente.

 A doença contribuiu para o quadro de saúde da criança, mas não determinou a morte, por isso a delegada apresenta o caso como “morte concausa”. O corpo da menina, já fragilizado por uma patologia desconhecida pela família, não suportou os golpes recebidos. Gabrielly recebeu golpes de mochila e chutes. Ela foi ao médico, que acabou por liberar a criança, e depois foi internada na Santa Casa. A investigação aponta que não houve negligência médica. Gabrielly sofreu trauma no quadril, que se transformou em artrite séptica e levou a um quadro de infecção generalizada. Esse quadro de saúde provocou a parada cardíaca que vitimou a criança.

Da redação

Foto Marina Pacheco/ Campo Grande News.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here