Ataques em hotéis e igrejas no Siri Lanka matou mais de 150 pessoas

Uma série de explosões simultâneas em três igrejas e três hotéis de luxo no Sri Lanka provocou a morte de pelo menos 156 pessoas neste domingo (21/04). Entre os mortos, há pelo menos 35 estrangeiros. Outras 400 pessoas ficaram feridas.Segundo as autoridades do Sri Lanka, os ataques ocorreram por volta de 8h45 do horário local (2h30 em Brasília). No momento das explosões, os templos católicos estavam celebrando o Domingo da Ressureição, uma das datas mais importantes do calendário cristão.A capital, Colombo, foi alvo de pelo menos quatro explosões: em três hotéis de luxo e numa igreja. As outras duas igrejas atingidas ficam em Negombo, no oeste do país (região que abriga uma grande população católica), e outra em Batticaloa, no leste. Nenhum grupo reivindicou autoria das ações até o momento.

Segundo as autoridades, 45 pessoas morreram em Colombo, 67 em Negombo e 25 em Batticaloa.O presidente do Sri Lanka, Maithripala Sirisena, pediu calma ao país após a série de atentados.”Por favor, fiquem calmos e não sejam enganados por rumores”, declarou Sirisena em mensagem à nação. O presidente, que se mostrou “em ‘choque’ e triste com o que ocorreu”, esclareceu que “as investigações estão em curso para descobrir que tipo de conspiração está por trás destes atos cruéis”.Após os atentados, as igrejas cristãs na Terra Santa expressaram seu pesar pelo que ocorreu no Sri Lanka.

“Que difíceis, irritantes e tristes são estas notícias, especialmente porque os ataques aconteceram enquanto os cristãos comemoravam a Páscoa”, lamentou o assessor de líderes da Igrejas na Terra Santa, Wadie Abunassar, que transmitiu sua solidariedade “ao Sri Lanka e a todos seus habitantes em suas várias confissões religiosas e origens étnicas”. “As igrejas rezam pelas almas das vítimas e pedem a rápida recuperação dos feridos”, acrescentou em comunicado.Os ataques contra minorias religiosas na ilha vêm se repetindo, os últimos de relevância em 2018, quando o Governo teve que declarar estado de emergência depois de confrontos entre muçulmanos e budistas.No Sri Lanka a população cristã representa 7%, enquanto os budistas são cerca de 70%, os hinduístas 15% e os muçulmanos 11%.

Governo pediu calma e investiga is atentados a cristãos.

Atentados desta magnitude não tinham acontecido no Sri Lanka desde a guerra civil entre a guerrilha tâmil e o Governo, um conflito que durou 26 anos e terminou em 2009, e que deixou segundo dados da ONU mais de 40 mil civis mortos.Após os ataques deste domingo, Steffen Seibert, porta-voz da chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, escreveu no Twitter: “horror de ser informado de que cristãos no Sri Lanka foram atacados e mortos durante as missas de Páscoa”. “Lamentamos e oramos pelos feridos e pelas famílias. Terrorismo, ódio religioso e intolerância não devem vencer”, finalizou.

Da redação

Fonte DW.com

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here