OUÇA: Linguiça, á um passo da industrialização associação almeja 20 mil quilos dia

Campo Grande(MS) – Em 14 de setembro de  2917, o  mel do Pantanal e a linguiça de Maracaju  foram  reconhecidas pelo Ministério da agricultura  como  produtos com Indicações Geográficas do Brasil,  através de parceria entre o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial)

A linguiça de Maracaju é preparada com carne nobre bovina, temperos e suco de laranja azeda, desde  1890, duas décadas depois  o fim da Guerra do Paraguai. A iguaria é fabricada pelos 12 integrantes da Aptralmar (Associação dos Produtores da Tradicional Linguiça de Maracaju).O produto deu origem, há 22 anos, ao maior encontro gastronômico de Mato Grosso do Sul, a Festa da Tradicional Linguiça de Maracaju. O evento atrai turistas e gera empregos temporários, ajudando a fortalecer a agroindústria e o comércio do município.

O embutido passou por todas as etapas e já pode ganhar o mercado industrial, iniciativa que só  pode ser determinada pela Aptralmar , Associação dos Produtores, presidida  por  do Gilson Marcondes. Ana Carla de Assis Ferreira administradora da empresa, Novilho de Ouro, ela explica que desde  2011 fábrica a Linquiça que  é  vendida em escola industrial e conta com selo de  inspeção  Estadual, Ana  busca pelo selo  de inspeção nacional  para ganhar o mercado internacional. Hoje São 5 mil quilos de linguiça produzidos todos os dias pela Novilho de Ouro em Maracaju.

Família Marcondes preserva a receite e registrou o prato no Guinness Book.

A empreendedora Ana Ferreira lembra que apresentou o linguiça de Maracaju em Dubai nos Emirados Árabes juntamente  92 empresários de vários países  e já  teria conseguido uma parceria para a produção industrial.

A Associação de Produtores, discute a  possibilidade do processo industrial e  encomendou estudo de um projeto, através do médico veterinário, que mais valorizou o prato   típico da região em 1977 que rendeu dois prêmios de empreendedorismos  para Maracaju, pela criação selo municipal  da Linguiça  e a certificação  para a venda da produção  da Agricultura Familiar.  Rodrigo Olegário, reforça que o embutido de Maracaju, precisa conseguir o  selo de inspeção Federal, e que a Associação de Produtores necessita  de estrutura compatível  para obter o documento. E destaca  como primordial, a formação de ampla equipe técnica ..

De acordo com Olegário, o  investimento para  levantar  a   estrutura  de  industrialização da   linguiça é de aproximadamente R$ 2 milhões. O  Dinheiro que pode sair de parcerias com outras indústrias de embutidos. Rodrigo Olegário, diz que a decisão deve sair da Aptralmar

O  consultor Empresarial, Rodrigo Olegário, argumenta que hoje a produção inicial  para atender a demanda  seria de 10 a  20 mil  quilos de Linguiça  por dia. E que a confecção da Linguiça para o mercado interno e externo já é realidade.

João Flores Junior

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here