Internado a quase um mês, Rubens Ewald Filho, morre em São Paulo

Faleceu na tarde desta quarta feira dia 19 de Junho, o  crítico de cinema e jornalista Rubens Ewald Filho, aos 74 anos. A informação foi confirmada a VEJA pelo ator Germano Pereira, amigo, e por Bia Venturini, assessora de imprensa do crítico. Ewald Filho estava internado em estado grave desde o dia 23 de maio, no Hospital Samaritano, em São Paulo,   depois de  sofrer um desmaio seguido de queda.  Marta Giovanelli, assistente do jornalista, afirmou que a queda foi causada por uma arritmia cardíaca.

Nascido em Santos, Rubens Ewald Filho era considerado um dos maiores nomes da crítica cinematográfica do país. Ainda criança, criou o hábito de anotar todos os filmes que via em um caderno, incluindo também o diretor, elenco, roteirista e outras informações. Iniciou carreira escrevendo para o jornal A Tribuna, de sua cidade-natal, e trabalhou em redações como Jornal da Tarde e O Estado de S.Paulo. Foi colaborador de VEJA nos anos 1990. A partir dos anos 1970, começou a se dedicar ao cinema, primeiro como ator, em filmes como As Gatinhas (1970) e, depois, como roteirista. Em 1977, escreveu Dicionário de Cineastas, obra de referência para os críticos do ramo.

Também desenhou uma trajetória como telenovelista, com produções como Éramos Seis(1977), Gina (1978) e Drácula, Uma História de Amor (1980). Sua última novela foi Iaiá Garcia, para a TV Cultura, em 1982.

Foi diretor de programação e produção da HBO no Brasil e apresentador de programas em emissoras como TV Cultura, Record, Band e no canal pago TNT. Tornou-se amplamente conhecido, porém, por comentar as cerimônias do Oscar, desde 1983 – primeiro na Globo, depois no SBT e, atualmente, no TNT – e por ter atingido a marca de mais de 35.000 filmes assistidos.Com informações da Veja

Da redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here