Ouça: Selo Arte ainda longe de beneficiar o pequeno na Agricultura Familiar

Campo Grande(MS) – Rodrigo Olegário Ferreira, médico veterinário pós graduado em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem animal e pós graduado em Vigilância Sanitária de Alimentos.  Exerceu de 2014 a 2018 a função de consultor técnico do Sebrae trabalhando com implantação de projetos voltados aos produtores de alimentos artesanais e de origem animal e entre  eles o SIMPAF , programa que levou o prefeito de Maracaju ,Maurílio Azambuja a ganhar o prêmio nacional prefeito empreendedor em 2014. Olegário, diz que o selo Arte precisa de regulamentação e que ainda  dificulta a inserção do pequeno empresário em todo o processo. A nova lei determina que quem  produz tem de ter uma sede de Agro indústria.

O consultor que fez projeto piloto em Maracaju, na implantação de selo da Linguiça e da Certificação de Produtos Artesanais da Agricultura familiar. Rodrigo  já passou por diversas cidades nos estados de Mato Grosso, Piuai, Goias, Paraná Santa Catarina, e São Paulo. De acordo com ele, a lei precisa ser mais específica. Ele espera movimentação dos deputados em Mato Grosso do Sul, a exemplo do que acontece em Mato Grosso.

O consultor considera que o Selo Arte é um avanço enorme para a agricultura familiar e deveria beneficiar a todos. E cita os projetos implantados em Maracaju.

As declarações de Rodrigo Olegário Ferreira, médico veterinário pós graduado em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem animal e pós graduado em Vigilância Sanitária de Alimentos, foram feitas ao programa  Giro de Noticias do Grupo Feitosa de Comunicação.

Da redação

foto Divulgação.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here