Suspeita de furto de R$ 800 em escola de Maracaju está afastada por 60 dias

Campo Grande(MS) – Diretora executiva nomeada de uma escola estadual Cambaraí em Maracaju  foi suspensa do cargo por 60 dias, durante investigação de possível furto de R$ 800 que estava dentro da bolsa da diretora efetiva. A suspensão preventiva foi publicada em Diário Oficial desta  segunda-feira (4).

No dia 26 de setembro, a SED (Secretaria de Estado de Educação), publicou a primeira suspensão preventiva da profissional por 30 dias. Nesta segunda-feira (4), a suspensão foi prorrogada por mais 30 dias. Conforme o processo, sete professoras da escola registram Boletim de Ocorrência contra a nomeada no dia 30 de agosto, a acusando de furtar R$ 800 da bolsa da diretora, que estava dentro de um carro, no estacionamento do colégio. Um inquérito policial foi instaurado e a denúncia chegou ao MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

Segundo o processo, a quantia em dinheiro foi arrecadada em uma festa realizada na escola feita pela diretora efetiva da Escola Cambaraí. No dia 30 de Agosto a Rádiowebms, publicou a informação   e falou depois com a delegada Gláucia  Fernanda  Valério, que deu prazo de 30 dias para terminar o inquérito.

Depois de finalizado o prazo de 30 dias tentamos falar com a delegada Gláucia  que nos  informou que estava em férias e que o inquérito estava terminado.   De acordo com Glaucia, o  inquérito foi relatado há mais de 30 dias, as informações sobre o andamento do procedimento somente junto ao fórum mesmo. Da parte da polícia judiciária toda a investigação foi concluída e o inquérito relatado e enviado ao fórum

Em interrogatório, a diretora executiva nomeada disse que trabalha há 12 anos na escola. Ela contou que na tarde do sumiço do dinheiro, recebeu uma ligação do colégio do seu filho, falando que o menino estava com febre. Conforme o depoimento da diretora executiva nomeada, ela procurou a diretora dona do carro, mas como não a encontrou, pegou as chaves do veículo, foi até o estacionamento, ficou por  um minuto dentro do carro. Ela contou ainda que um funcionário ligou para ela e a suspeita pediu para que o mesmo fosse até a escola buscar seu filho. Ela então, saiu do carro, dizendo não ter mexido em nada e deixou as chaves na mesa dos professores. A diretora executiva confirma ter ido até a casa da docente explicar a situação e disse que a conversa entre as duas foi amigável e ninguém em momento algum, a acusou de furto. A Polícia Civil e o MPMS ainda apuram os fatos.

Da redação

Foto Ben Hur Salomão /Maracaju em Foco.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here