Ouça; Trad enfrenta ação Civil pelo reajuste enviado por ele e aprovado pelos vereadores

Campo Grande(MS) – Vereadores  aprovaram em regime de urgência,  no dia 19 de novembro , reajuste de 4,17% para  300 servidores municipais, entre eles o próprio prefeito e o vice-prefeito que recebem o teto constitucional. Foram 20 votos favoráveis e 5 contrários.

O porcentual é o mesmo concedido aos demais servidores, no final do mês passado. O projeto foi elaborado pela Mesa Diretora a pedido do prefeito Marcos Trad. O ofício com o pedido foi encaminhado no dia 1º de novembro à Câmara Municipal, pois a decisão é de competência do Legislativo. Conforme o presidente João Rocha, o regime de urgência foi escolhido para dispensar a necessidade de duas votações.  Ele não revelou qual será o impacto na folha de pagamento que atualmente gira em torno de R$ 130 milhões por mês.

Guto Escarpanti  38 anos empresário de Campo Grande, disse a Rádiowebms, que  tenta impedir reajuste dado ao prefeito Marcos Trad  desde ao ano passado quando o reajuste era de  30% em 2018. Ele fez manifestação e impediu o reajuste. A ação popular entende que o reajuste é ilegal.

Guto Escarpanti  disse ainda que a medida é inconstitucional porque deveria valer para  a próxima legislatura. O campo-grandense anuncia que ação já tem jurisprudência em Mato Grosso do Sul. Para o autor da ação Civil  o executivo não teria recursos para pagar o decimo terceiro e isso já seria motivo para não ter reajuste.

O outro lado. A assessoria de imprensa da prefeitura de Campo Grande não respondeu a redação sobre a ação  civil contra o reajuste de reposição salarial do prefeito, vice e servidores.

Da redação

Foto Divulgação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here