Ouça: Ao recusar matricula, Adventista pode ser condenado à 5 anos de prisão

Campo Grande(MS) – A denuncia foi da cidadã,   Keyla da Costa Meneses, que esteve recentemente no  colégio Adventista a pedido do filho para fazer a matrícula. O rapaz de 19 anos tem a síndrome de DiGeorge, que causa um leve atraso no desenvolvimento. Keyla disse ter sido muito bem atendida, e  informada de que havia vagas para o ano que ela buscava, qual apostila era usada  e valores, mas ao passar pelo coordenador, o tratamento mudou. Ele foi taxativo e disse a ela que a Adventista não tinha vaga para aluno laudado. A mãe não entendeu a expressão, Laudado, Kayla ficou arrasada com o tratamento do coordenador da Escola Adventista e fez a reclamação na pagina,  Onde não ir em Campo Grande; A denuncia repercutiu na rede social e provocou medida do Procon de campo Grande. Valdir Custódio, coordenador do Procon de Campo Grande detalha.

Custódio lembra do Estatuto da pessoa com deficiência, que se descumprido pode resultar em crime, no caso da recusa da matricula do estudante. Valdir Custodio disse do encaminhamento dos procedimentos em relação ao Colégio Adventista.

Os Fiscais da entidade estiveram na  segunda-feira nas dependências do colégio e  o Procon  constatou que o Colégio Adventista Jardim dos Estados está com o alvará vencido, que foi encaminhado para a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano). A empresa possui o prazo de 10 dias para apresentar os esclarecimentos na sede do Procon na Capital.

Da redação

Foto; Assessoria Prefeitura de Campo Grande.

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here