Ouça: Mais de 30 animais são maus tratados em C.Grande, a maioria cães

Campo Grande(MS) – Acusada de ser a responsável por ter matado cadela a pauladas, no Residencial Búzios, em Campo Grande, prestou depoimento na terça feira a Polícia Civil e negou as acusações. As testemunhas  não viram o fato e a investigação continua. As agressões teriam ocorrido depois que a cachorra revirava sacos de lixo em busca de comida, na frente da casa da mulher no dia 12 de janeiro. A denúncia de maus-tratos foi feita pela presidente da ONG Abrigo dos Bichos, Maria Lúcia Metello, que socorreu o animal e a chamou de Miska. A cadela foi encontrada ensanguentada no Residencial Búzios, com mandíbula quebrada. O rastro de sangue indicava, segundo Maria, que ela tinha vindo da casa da mulher.

 O titular da Decat, Maércio Alves Barbosa, disse que a mulher negou as acusações. Ela explicou que estava em casa, assistindo TV com a filha de 4 anos, quando o animal, já ensanguentado, invadiu a sala. Assustada, ela enxotou a cachorra, mas diz que não a agrediu. Vizinhos da mulher,  viram o animal saindo da casa, enquanto a suspeita estava em pé, perto da porta. Porém, ninguém afirmou ter presenciado o momento das agressões. Barbosa disse que irá ao residencial para buscar mais informações, na tentativa de identificar outro suspeito ou evidências da versão da mulher. Caso algum suspeito seja identificado, ele será indiciado na Lei do Crime Ambiental (9605/98), por maus tratos, crime com pena de detenção de três meses a um ano e pagamento de multa.

Informações de  voluntários revelam que 30 animais são maus tratados todos os dias em Campo Grande, principalmente os cães.

Por causa da morte violenta da cachorra, Miska, mais de cem voluntários, organizam uma protesto domingo em frente ao Shopping Campo Grande. Um dos organizadores do protesto é o Alexandre dos Santos, conhecido Xandão o protetor dos animais.

Da redação

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here