Índios de outras regiões invadem áreas em Dourados.

Campo Grande(MS) – Lideres indígenas de Dourados estão preocupadas com as áreas rurais e residenciais invadidas às margens da Perimetral Norte, próximas a Reserva.  Segundo eles, os ocupantes desses locais estão chegando de outras comarcas e estariam causando transtornos aos proprietários da região e também aos moradores da Aldeia Bororó, que fica na divisa da rodovia. O clima de tensão, já citado pela polícia e também pela população da região, voltou a figurar e ganhar forma, porém, agora entre os próprios índios. De acordo com o capitão Bororó, Gaudêncio Benitez, um eminente confronto está se armando entre índios. Ele relata que teme um grande derramamento de sangue na região por conta das ações ofensivas por parte dos invasores, boa parte considerados ‘desaldeados’.”O clima é pesado. Pessoas da comunidade nos procuraram para relatar que estão sendo maltratados por esses indígenas. Eles não fazem parte de nossa aldeia, não moram aqui e se houver algum ataque, haverá represália, com a possibilidade de derramamento de sangue”,

 

Gaudêncio denuncia ainda parte dos  invasores são usuários de drogas e álcool. Na tarde de quinta feira (17/03) o líder e  indígenas foram convocados para prestar depoimento sobre a situação local na delegacia de Polícia Federal em Dourados. Logo após as oitivas, eles seguem para o MPF (Ministério Público Federal), onde cobrarão providências sobre o caso que se alastra há quase um mês. De acordo com o advogado e representante dos indígenas, Nilson Alexandre Gomes, moradores da Reserva relataram avistar pessoas de fora das aldeias sendo deixadas no local para aumentar a movimentação da área ocupada. “Eles relatam que essas pessoas que ali estão, são de outras cidades, não moram aqui. E como eles chegam lá? Isso é o que precisamos saber. São indígenas trazidos a mando de alguém, que desembarcam ali todas as noites”, comentou o advogado que esteve acompanhando o grupo na companhia do conselheiro federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Alexandre Montovani e o presidente da ANA (Associação de Novos Advogados) de Dourados, Diego Zanoni.No final de semana, policiais federais já teriam levado  cinco índios para prestar depoimento, segundo o comando da Polícia Militar no município, que tem trabalhado em conjunto nesta situação. As invasões ocorrem em sete pontos dentro de três áreas – Monte Carlo, próximo a MS-156 e propriedades rurais entre Dourados e Itaporã – e começaram no final de fevereiro. Tanto o 3º Batalhão de Polícia Militar e a Polícia Federal seguem monitorando os locais. Recentemente, uma equipe da PM em rondas pela região foi provocada pelo grupo e precisou se posicionar em forma de combate, até que os indígenas se mostrassem defensivos. Com informações do Dourados News.

 

 Da redação