OUÇA: TCE propõe solução para política de resíduos sólidos no Estado.

Campo Grande(MS) – Tribunal de Contas do Estado fez uma radiografia da situação dos aterros sanitários de todo o Estado, a pesquisa teve apoio do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa.  O conselheiro Valdir Neves, presidiu encontro com mais de 40 prefeitos para tratar de solução para  os lixões a céu aberto na maioria das cidades. A União deu prazo até agosto do ano passado para que as cidades solucionassem o destino dos resíduos sólidos em todo o Brasil. Mas  os prefeitos não tem dinheiro para levantar o aterro sanitário. Waldir Neves, comenta

 

Segundo dados, 83 por cento das cidades tem menos de 30 mil moradores e não sem  condições de resolver o problema por falta de dinheiro; Agora o TCE apresenta como alternativa,  marco regulatório para ajudar as cidades para cumprir a lei. A proposta teve a participação do Ministério Público, e Assembleia Legislativa,  em audiência no auditório do TCE na sexta feira pela manhã. O TCE sugeriu que municípios se unam na contratação de consórcios para gerir a destinação correta. No caso de Campo Grande, o prefeito Alcides Bernal destca que a  a Capital já recebe os resíduos de Terenos, está firmando parceria com Rio Negro e Corguinho e conversa  com outros prefeitos de cidades próximas. Um bom exemplo vem de Naviraí, onde já tem um aterro sanitário licenciado desde 2014. Eles pagam R$ 100 mil mensal para uma empresa,  Excelência Ambiental, que faz a separação do lixo e gestão e devem entrar no esquema de agrupamento, tornando-se pólo regional. Outra  é  Três Lagoas, onde existe aterro desde 2009 e estão tentando passar para uma parceria público privada.

Da redação

Foto; Roberto Araújo; Assossoria TCE.