OUÇA: Punição ao aluno indisciplinado causa discussão e divide professores.

Campo Grande(MS) – Algumas entidades ligadas aos direitos da criança e do adolescente são contra projeto de lei que autoriza professores e diretores a adotarem medidas, como limpeza de banheiros e pintura em cima de pichações, aos alunos que praticarem atos de vandalismo nas escolas de Mato Grosso do Sul. Projeto foi debatido em audiência pública na tarde de  quarta feira  Assembleia Legislativa. Representantes da Defensoria Pública, Conselho Estadual de Direitos Humanos, Federação dos Trabalhadores em Educação do Estado e 3ª Vara da Infância e Juventude se manifestaram contra o projeto, alegando que a punição aos alunos infratores cabe a Justiça e não a escola. E que,  dar autoridade a diretores e professores seria da  esfera jurídica. Mas a medida  também teve parecer favorável da Secretaria Estadual de Educação  e é avaliada como positiva pelos  professores do Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública (ACP).O autor da proposta do deputado Lidio Lopes do PEN disse a Rádiowebms que os pais devem educar seus filhos.  

 

A  medida já foi aplicada em Campo Grande, sugerida pelo promotor da Infância, Adolescência e Juventude, Sérgio Harfouche, em projeto batizado de Programa de Conciliação para Prevenir Evasão e Violência Escolar (Proceve).  A  iniciativa deu origem ao projeto de lei,  Lídio Lopes, aposta na aprovação da matéria. O   Líder da bancada do PT na Assembleia, deputado Amarildo Cruz afirma que os parlamentes petistas são contrários a lei por acreditar que o papel  da escola é educar e que espera que o debate ajuda na discussão da medida.

Da redação

Foto;Valdenir Rezende/ Correio do Estado.