Morre, aos 102 anos, o jurista Evaristo de Moraes Filho.

Quinto ocupante da Cadeira 40 da Academia Brasileira de Letras, eleito em 15 de março de 1984, na sucessão de Alceu Amoroso Lima e recebido em 4 de outubro de 1984 pelo Acadêmico Josué Montello.Evaristo de Moraes Filho, nasceu na cidade do Rio de Janeiro, quando a mesma era a capital da República, no dia 5 de julho de 1914, viveu infância na rua dos Coqueiros, no bairro de Catumbí, na mesma cidade, filho do casal Antônio Evaristo de Moraes e Flávia Dias de Moraes.Formação escolar de primeiro grau adquirida na Escola Pública Nilo Peçanha, no bairro carioca de São Cristóvão, ingressou em 1921.

Em 1925, iniciou o ginásio no Colégio 28 de Setembro, dirigida pelo General Liberato Bittencourt, atingiu o posto de capitão-aluno.Secundário cursado no mesmo estabelecimento e graduado aos 17 dias de dezembro de 1932, cursou Filosofia , aos ensinos do General José Maria Moreira Guimarães, classificou-se em 1.o lugar, herdou o privilégio de ser o Orador da Turma.

Ingressou em 1933 na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, que mais tarde viria a ser chamada de Universidade do Brasil, e hoje é famosa e conceituada Universidade Federal do Rio de Janeiro, a UFRJ, onde foi colega contemporâneo de ,Alzira Vargas do Amaral Peixoto, filha do presidente Getúlio Vargas, Arnaldo Lopes Sussekind, Ministro da Agricultura do Presidente Castelo Branco e de Benjamin Eurico Cruz , que prestou serviços ao país como Ministro do Trabalho e Previdência no período João Goulart, os dois últimos, colegas no Ministério Público do Trabalho. Amizade construída nos anos de trabalho árduo que tiveram, ao elaborar e executar o projeto que hoje conhecemos como INSS.

 

 Da redação

Foto; Divulgação.