Câmara parabeniza Federal pela descoberta da Farsa de deputado Trutis

Campo Grande(MS) – A manifestação foi proposta pelo delegado e Vereador Wellington de Oliveira(PSDB) na sessão ordinária de terça feira dia 17 de Novembro.

A Corregedoria da Câmara Federal vai dar prazo de cinco dias para o deputado federal Loester Carlos Gomes Trutis (PSL) se manifestar sobre o inquérito que ele responde no STF (Supremo Tribunal Federal), por falsa comunicação de crime, disparos em via pública e porte ilegal de arma. De acordo com o  corregedor da Casa, deputado Paulo Bergston (PTB/PA), que só falta o documento chegar ao órgão.  A investigação deriva da Operação “Tracker”, desenvolvida na quinta-feira (12) pela PF (Polícia Federal), para cumprir  mandados de busca e apreensão em 10 endereços ligados ao parlamentar da “Bancada da Bala”. Conforme a Polícia Federal relatou ao Supremo Tribunal Federal para pedir autorização para realizar as buscas, Loester Carlos forjou atentado em fevereiro deste ano, em rodovia de Campo Grande, na saída para Sidrolândia. Além disso, arquitetou esquema para ter acesso a armas por meio de laranjas, já que tem impeditivo legal para isso.

Declaração do próprio parlamentar informou à PF que ele responde a processo por violência doméstica e por isso não pode registrar armas em seu nome. No dia da operação, Loester foi preso por estar com material bélico para o qual não possui autorização, em sua casa em Campo Grande. Foi solto horas depois, beneficiado pela imunidade parlamentar, que impede a prisão de parlamentares por crimes afiançáveis. Agora, segue respondendo ao procedimento investigatório policial e, também, a julgamento da Câmara.

João Flores Junior