Ouça; Joelma sabia que seria morta pelo ex companheiro e avisou a filha.

Campo Grande(MS) – A Policiais de Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher,  prendeu  na quarta feira  L.S., 38 anos,  depois dele  ter matado a facadas a ex-esposa Joelma da Silva André, de 33 anos o crime foi na manhã de ontem no  Distrito Indubrasil, em Campo Grande-MS.  A prisão aconteceu depois de agentes da  Seção de Investigações Gerais  da 1ª DEAM iniciarem  os estudos.  Em coletiva de imprensa na tarde  de quarta feira a delegada Elaine Benicasa, confirma que a policia encontrou Joelma já sem vida, o Casal estava junto a  4 anos

A policia diz que o casal discutia sobre separação desde a  noite de terça feira, e que Joelma já teria iniciado um outro relacionamento amoroso. O crime teria sido cometido na frente das crianças. autor foi preso em via pública na manhã de quarta feira. A Deam já tem boletim do registro de violência domestica .

A policia Civil, não tem informação de que a PM, já teria estado no endereço de Joelma e não teria prendido Leonardo. A policia já teria ouvido testemunhas e a filha mais velha do casal de 16 anos. a delegada Ana Luz  Ferraz detalha que Leonardo se mostrou frio e sem remorso depois de mata a esposa.

Filhos e Joelma e Leonardo estão com as avós.

De acordo com a delegada Elaine Benicasa, o assassinato de mulher e crime de ódio. A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados aprovou proposta que muda o Código Penal  para tornar o crime de feminicídio imprescritível e aumentar sua pena mínima de 12 para 20 anos de reclusão. A legislação atual para este crime prevê pena máxima de 30 anos, que foi mantida pelo texto aprovado na forma do substitutivo da deputada Flávia Morais (PDT-GO).

João Flores Junior

Foto Jeremias Mattos/ Rádiowebms.